quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Novidades Dom Quixote: Lançamentos em Janeiro

A Caixa Negra - Amos Oz


A Caixa Negra é a história do fracasso do casamento de Ilana e Alex e da luta que ambos travam em torno do filho. Trata-se de um romance epistolar que nos fala de amor, ciúme, inveja, paternidade, solidão e desejo, mas também de uma sociedade mergulhada numa profunda crise. Os personagens representam, com efeito, diversas ideologias, religiões e etnias desse universo complexo que é Israel nos dias de hoje. O livro suscitou, por isso, enorme controvérsia no momento em que foi publicada a sua edição original, tendo a direita israelita considerado que tratava com algum desprezo o nacionalismo e a religião.

Nas livrarias a 28 de Janeiro



A Imortalidade - Milan Kundera


Em A Imortalidade somos confrontados com a futilidade e o horror universais, os fast-food, as motos ruidosas, toda a radical «maldade» do mundo, e as pequenas, mesquinhas e inúteis fugas a esse panorama desolador, entre as quais avulta a da busca da imortalidade. Não a imortalidade da alma, mas a imortalidade de quem, pela sua vida ou pela sua arte, aspira a deixar de si um sinal ou uma memória imperecível.
Tal como a Emma de Flaubert, ou a Anna de Tolstói, a Agnès de Kundera torna-se num objecto de fascínio, de indefinida nostalgia. A partir dessa personagem nasce um romance… um gesto da imaginação que personifica e articula o supremo domínio de Kundera sobre o romance e a sua finalidade: explorar a fundo os grandes temas da existência.

Nas livrarias a 28 de Janeiro


A Voz da Terra - Miguel Real


Júlio Telles Fernandes – brasileiro viúvo e rico – chega a Lisboa com duas missões secretas: interceder junto do Marquês de Pombal pela independência do Pernambuco e entregar nas mãos da judia Violante Dias, prima da sua falecida mulher, um anel que há muito vem passando de geração em geração. Pretendentes não lhe faltam, claro, entre as quais a menina Smith – filha do provedor da feitoria inglesa em Lisboa – e a Viúva Passarinho – perseguida por achaques nocturnos e também por um cónego glutão, ávido de dinheiro e influência.
A Voz da Terra narra a história da passagem da Lisboa supersticiosa, marinheira e imperial dos Descobrimentos – a Cidade de Santo António, governada pela Voz do Céu – para a Lisboa burguesa, racional e geométrica, consequência do Terramoto – a cidade do Marquês de Pombal.

Nas livrarias a 21 de Janeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário