domingo, 29 de maio de 2011

Novidades Bertrand Editora para Junho

Vai dando notícias -  Catherine O’Flynn

A história divertida e emocionante de Frank, o apresentador do noticiário de uma televisão local.
Com uma personalidade desajeitada e pouco original, Frank é assombrado por desaparecimentos: a misteriosa morte do seu predecessor, provocada por um condutor que fugiu; a demolição da arquitetura pós-guerra do seu pai e a passagem incógnita dos que morrem sozinhos na cidade. Frank esforça-se por entender estas ausências enquanto tem de transmitir intermináveis notícias locais sobre buracos que se abrem nos jardins das pessoas e tenta lidar com a sua mãe irredutivelmente infeliz.
O resultado é uma coisa rara: um romance cujas páginas se voltam incansavelmente, que faz as perguntas importantes de uma forma acessível, que nos faz rir em voz alta e que é genuinamente tocante e inevitavelmente animador.

Catherine O’Flynn -  nasceu em 1970, a mais nova de seis filhos, e foi criada em Birmingham. Os pais tinham uma loja de doces. Trabalhou por pouco tempo na área do jornalismo e depois numa série de centros comerciais. Também foi editora na internet, carteira e cliente-mistério.
A autora a falar do livro, aqui.


O Escandinavo Deslumbrado - Alberto Xavier

Depois de Al-Gharb 1146, Alberto Xavier traz-nos em ‘O Escandinavo Deslumbrado’ uma sátira de costumes onde predomina o absurdo, a ironia e a excentricidade.
Uma série de nove contos que se desenrola de forma dialogada e cuja característica comum é serem “contra-sensos”, no sentido de “nonsense” típico do humor inglês, em que sobressai a paródia, a brincadeira, o absurdo feito figura na mundanidade do salão ou na privacidade da sala onde se costuram intenções, se desfilam caprichos e bizarrias, vícios e excentricidades.
Certeiro nesta arte do contra-senso, denunciando ambições, vaidades, petulâncias, desprezos, Alberto Xavier comete assim a ousadia de criar um novo género literário, disciplina de humanidades.

Alberto Xavier -  nasceu em Lisboa em 1942. Doutorado em Direito pela Universidade de Lisboa e professor da Faculdade de Direito, radicou-se no Brasil em 1975, onde exerce advocacia empresarial e tem uma extensa vida universitária. É autor de uma vastíssima obra ma área da sua especialidade, publicada tanto em Portugal como no Brasil.


Dicionário de coisas práticas - Francisco José Viegas

Uma selecção de textos quase todos publicados na coluna diária “Blog”, que Francisco José Viegas mantém no Correio da Manhã desde Janeiro de 2008. Neles transparece a curiosidade e a riqueza de pensamento do autor temperadas pela vertigem da hora de fecho. Os textos apresentam-se, segundo a sua temática, em três unidades: paisagens, pessoas, esquecimentos; cultura, memórias, despedidas; política, combates e confrontos.

Francisco José Viegas - nasceu em 1962 no Alto Douro. Foi director da Casa Fernando Pessoae é actualmente director da Revista Ler e editor da Quetzal. Trabalhou para os principais órgãos da imprensa escrita e também para a rádio e televisão. O seu romance Longe de Manaus, da série protagonizada pelo inspector Jaime Ramos, foi distinguido em 2006 com o Grande Prémio de Romance da APE). É também poeta. Parte essencial da sua obra literária está publicada em França, na Alemanha, Itália, Brasil e República Checa.

Sem comentários:

Enviar um comentário